Roteiro pelo Alentejo (com mapa)

Misericórdia do Alandroal.

O Alentejo é a maior região natural de Portugal, estendendo-se desde as margens do rio Tejo, a norte, às serras algarvias a sul, ocupando 1/3 do território continental e uma população que não ultrapassa os 800.000 habitantes, é um dos destinos portugueses em alça. A paisagem alentejana é muito diversa e rica moldando as várias personalidades das suas gentes, e conferindo-lhes especificações próprias dos seus territórios sem perder contudo as características gerais do povo alentejano: simpatia, convicções, trabalhadores e independentes, audazes e inventivos.

Percorrer esta região é ir ao encontro de uma terra cheia de tradições e saberes que tanto se descobrem nas pequenas aldeias como nas suas vilas e cidades. Impossível atravessar o Alentejo ou ir ao encontro de determinada povoação sem tropeçar nas suas tradições, na sua gastronomia ou no seu artesanato.

Castelo de Marvão.
Este é um roteiro aberto e adaptável às circunstâncias de cada turista que pode, dependendo do tempo de visita e dos seus interesses, desenhar o melhor percurso para conhecer ou redescobrir o Alentejo. As propostas que deixamos dividem-se nos cinco territórios que formam a região, e que podem ser abordadas em separado ou escolhendo destinos dentro de cada uma deles para formar um roteiro transversal da região. A estes cinco territórios adicionamos uma outra proposta que denominamos "saberes", essencial para completar a experiência alentejana.

À região podes chegar via automovel usando a A6 que a atravessa de este a oeste, ligando Lisboa à fronteira com Espanha, ou a EN2 vindo do norte ou sul. De comboio desde Lisboa podes chegar a Évora, Beja ou Grândola com o serviço intercidades, as restante ligações, nomeadamente a linha do Leste, entre o Entrocamento e Elvas, não satisfazem um serviço minimo de qualidade.


NORTE ALENTEJANO 

Mosteiro da Flôr da Rosa, Carto.

No Norte Alentejano (que corresponde ao distrito de Portalegre) começamos por sugerir-te duas aldeias cujo património construído lhe outorga uma personalidade histórica, que preservam com orgulho e brio, são elas Amieira do Tejo e Alegrete, que poderão ser o complemento perfeito para um roteiro pelo Norte Alentejano.
Um dos destinos clássicos neste território é a vila de Marvão, trata-se de uma cidadela medieval cercada por muralhas, de onde diz a tradição oral se podem ver as costas das águias em voo. A menos de 20 km encontra-se Castelo de Vide, terra de judeus e águas medicinais que desde o século XIX são um dos atrativos da chamada "Sintra do Alentejo".
Outro dos segredos do Alentejo é o Mosteiro da Flôr da Rosa, no concelho de Crato, atualmente transformada em pousada histórica, e que merece uma breve paragem para o conhecer e quem sabe uma das opções de alojamento.

Retábulo dos Terceiros, Elvas.

Para última sugestão no Norte Alentejano aconselhamos a Cidade-Quartel de Elvas e suas Fortificações, elevada à categoria de Património Mundial em 2012, que tem muito mais que fortes e quartéis para oferecer a quem a visita, a riqueza do seu património religioso ou o Aqueduto da Amoreira não deixarão nenhum visitante indiferente.

ALENTEJO CENTRAL

Templo Romano de Évora.

A Évora, chamemos-lhe capital da região Alentejo, Património Mundial, foi o primeiro sitio classificado em Portugal continental em 1986. A lista de locais a visitar aqui é infinita, mas seguramente ninguém por passa pela cidade sem fazer uma foto no Templo Romano e na Capela dos Ossos. Para quem a visitar detalhadamente, ou regressa a Évora, não pode faltar-lhe uma ida ao Cromeleque dos Almendres, recinto megalitico de 7.000 anos de antiguidade.
Estremoz, Vila Viçosa e Alandroal são destinos por si mesmo para um fim-de-semana demorado ou para uma visita num roteiro de vários dias pelo Alentejo. O conselho essencial para visitar Estremoz é faze-lo coincidindo com um sábado de manhã para aproveitar o seu mercado semanal cheio de hortelões e antiquários. Outros dos clássicos do Alentejo é a visita ao Palácio Ducal de Vila Viçosa, que consideramos o mais completo paço nobre do país, ao qual se deve juntar um passeio pelas ruas da vila. No concelho de Alandroal, além da sede do município, existem dois outros castelos e vilas às quais se deve dedicar tempo neste roteiro, são elas Terena e Juromenha.

Pelas ruas de Monsaraz.

Imposssível sair do Alentejo Central (que corresponde ao distrito de Évora) sem passar pela barragem de Alqueva, o maior lago artificial da Europa, com uma serie de aldeias à beira rio que proporcionam o contacto com o rio Guadiana, e entre as quais sobresaí Monsaraz, mais uma vila medieval, desta vez com vistas insuperáveis sobre as águas do Lago de Alqueva.



BAIXO ALENTEJO

Igreja matriz (antiga mesquita), Mértola.

Uma visita ao Baixo Alentejo pode começar perfeitamente pela vila de Alvito, cujo castelo senhorial é um aperitivo para o restante património civil e religioso que guardam as suas ruas.
A antiga Pax Julia Romana, que hoje conhecemos como Beja, é uma cidade com um importante património histórico construído onde destaca na paisagem alentejana o seu castelo ou a bela igreja da Misericórdia. Não se pode ir a Beja sem visitar o seu museu, com uma coleção de azulejos invejável entre muitas outras coleções que o elevam a ser considerado um dos melhores do Alentejo.
De igual importância histórica e patrimonial, ou quiças maior, é a ribeirinha Mértola, uma vila alentejana que tem estruturado a sua estratégia económica na base de um pólo arqueológico, que lhe tem permitido afirmar-se como pólo cultural e ambiental em Portugal.


ALENTEJO LITORAL

Praia de Porto Covo.
O Alentejo atlântico e litoral que começa na península de Troia e termina na bela praia de Odeceixe, é a costa maritima mais selvagem de toda a Europa e um paraiso que devemos todos preservar, usufruindo-o em conciência. Além dos quilómetros infinitos de praias de areias brancas que se estendem de Troia a Sines, estão as pequenas praias escondidas nas falésias e a ilha do Pessegueiro frente a Porto Covo.
De entre as principais localidades cabe destacar Alcácer do Sal, o porto romano desde onde partiam escravos e matérias para a eterna Roma, com o seu património construído e a sua zona ribeirinha banhada pelo rio Sado; Santiago do Cacém, terra da ordem de Santiago e que do seu passado romano conserva a cidade de Miróbriga; e não deixemos de passar também por Vila Nova de Milfontes, encaixada entre o mar e o rio Mira.
Outras das atividades a fazer é a Rota Vicentina, quer na sua zona alentejana quer algarvia, percorrendo um ou vários percursos que se desenvolvem ao longo da costa alentejana.


SABERES

Exposição de chocalhos, Alcáçovas, Viana do Alentejo.

Os saberes do Alentejo são a essência e a verdade da região traduzidos no Pão, Vinho e Comidas que fazem destes sabores uma das características identitárias da região. Se adicionarmos a estes sabores os saberes do Cante Alentejano, da barristica de Estremoz ou os Chocalhos Viana do Alentejo / Alcáçovas, temos um resumo da imensidão de tradições alentejanas.



TAMBÉM TE PODE INTERESSAR

Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.