Capela da Rainha, um segredo de Estremoz

Pormenor da Capela da Rainha Santa Isabel, Estremoz.
Visitar Estremoz é sempre um prazer (aqui podes ler o apontamento sobre a cidade do mármore e sua história), o ambiente de ruralidade enquadrado pelo património construído aliado à riqueza do seu artesanato, tendo os seus Bonecos (de barro) de Estremoz recebido em 2017 a classificação de Património Cultural imaterial da Humanidade, complementam qualquer visita à cidade branca de cal e mármore.

Há no cimo da colina no qual existiu o castelo e palácio medieval, e onde hoje existe a pousada no edifício que albergou a oitocentista armaria real, um espaço quase secreto cheio de tesouros da memória, arte e devoção do povo de Estremoz.

Entrada da Capela da Rainha Santa Isabel, Estremoz.
A pequena capela integrada na mole do edifício oitocentista, foi objeto de devoção da rainha-mãe D. Luísa de Gusmão, que após a vitória na Batalha das Linhas de Elvas, mandou transformar o antigo quarto onde faleceu a Rainha Santa Isabel numa capela, poucos anos depois da sua canonização por Urbano VIII. O espaço sofrerá várias obras de melhora ao longo dos séculos e reza a lenda que na explosão do paiol que destruiu o antigo Paço Real estremocense este espaço sobreviveu intacto por interação da santa.

Painel de Azulejos representando o milagre de Sta. Iria, Capela da Rainha Santa Isabel, Estremoz.


O seu aspeto atual, integrado na antiga armaria joanina (agora pousada), é uma das joias escondidas da Cidade Branca. Num recanto do antigo castelo, guardada por umas grades de ferro trabalhadas com o escudo real, abre-se um balcão panorâmico para a zona baixa de Estremoz, onde uma discreta porta com marmóreo escudo real, guarda os lances de escadas que nos permitem alcançar a capela da Rainha Santa Isabel de Portugal.

Interior da Capela da Rainha Santa Isabel, Estremoz.
A pequena capela barroca é uma espécie de banda desenhada da sua vida. Na parede fronteira às janelas vários painéis de azulejos atribuídos a Teotónio dos Santos e André Gonçalves e narram episódios da sua vida e santidade, e sobre estes e rodeando a totalidade da capela pinturas sobre tela continuando com a mesma temática que os azulejos.

Retábulo da Capela da Rainha Santa Isabel, Estremoz.
O retábulo, de mármore claro está, de linhas barrocas, albergava a primitiva imagem da rainha santa com o seu manto cheio de rosas, e que atualmente está em custódia na vizinha igreja de Sta. Maria. Sobre a porta de entrada outra bela peça talhada em mármore e oferecida pela população local como agradecimento pela proteção recebida quando da invasão napoleónica de Estremoz, em 1808.

A entrada é gratuita, sendo necessário solicitar a chave na Galeria de Desenho, antiga Sala de Audiências do Paço Real.

Coro da Capela da Rainha Santa Isabel, Estremoz.

Interior da Capela da Rainha Santa Isabel, Estremoz.


Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.